Com as livrarias e bibliotecas fechadas na maior parte das cidades, os livros que foram deixados nas prateleiras de casa alentaram muita gente porque, em tempo de pandemia, escapar “para dentro” dos livros tornou-se uma questão de sobrevivência.


Também as bibliotecas escolares assumem a missão de servir a comunidade, ajudando a desbravar caminhos, promovendo a saúde e o bem- estar ocupacional, emocional, físico, espiritual, intelectual e social das crianças e jovens.


De facto, LER deixa-nos menos ansiosos, potencia o nosso equilíbrio emocional e mental, promove a compaixão, empatia e resiliência, estimula o cérebro de uma forma global, ajudando-nos a desviar o foco da realidade preocupante em contexto da pandemia.


«Os livros são poderosos aliados para a nossa saúde mental e felicidade, mesmo em tempos de pandemia, uma vez que o hábito da leitura ajuda a avaliar novas perspetivas ou respostas, o que funciona inclusive como um alívio, pois permite-nos desbravar os desafios enfrentados pelos personagens nas narrativas. Outro ponto consolador é o facto de que a leitura faz com que o leitor perceba que ele não está sozinho na vivência de suas adversidades.» (Texto adaptado)
Ivana Chaves, psicóloga e assistente de biblioteca


Nesse sentido, e no âmbito da comemoração do Mês Internacional das Bibliotecas Escolares, os alunos do 11.º AJ elaboraram uma série de atividades em formato digital com o objetivo de envolver toda a Comunidade Educativa, mostrando que a Biblioteca não é só um serviço, mas também um espaço vital nas escolas. As atividades a desenvolver farão um percurso lúdico/ solidário, porque Ser Claret é SER+ Humano.


Vamos, então, celebrar as Bibliotecas Escolares e convidar todos a comemorar a ligação entre os livros, a leitura, as bibliotecas e a saúde e o bem- estar. Que, nestes dias, a leitura seja um remédio, uma atividade terapêutica que traga a serenidade e o alento tão necessários!

 


Pelos alunos do 11.º AJ na disciplina de Técnicas Documentais